Porque é que é ainda necessário patrulhar praias em Cabo Verde?

12 Julho 2009

Um leitor do http://www.tartarugascaboverde.org enviou esta fotogaleria que ele mesmo colocou no YouTube. A sequência de imagens capturadas em 2007 é chocante, mas torna evidente a resposta à pergunta: porque é que é ainda necessário patrulhar praias em Cabo Verde? Porque, em definitivo, isto tem de acabar!!!

Anúncios

Acampamentos Internacionais na Ilha da Boavista 2009

17 Abril 2009

1.  ORGANIZAÇÃO

tartaruga1 A ONG Natura 2000 (Cabo Verde), a Universidad de Las Palmas (Canárias – Espanha), o Consejo Superior de Investigaciones Científicas (Sevilha – Espanha) e a Universidade do Algarve (Portugal) vão organizar, entre finais de Junho e início de Outubro de 2009, dois acampamentos internacionais de voluntários na Ilha da Boavista.

O interesse ambiental dos acampamentos é reconhecido pela Direcção-Geral do Ambiente, de Cabo Verde.

 

2.  OBJECTIVOS
Os acampamentos têm dois objectivos:

  • participar na protecção directa de fêmeas reprodutoras de tartarugas marinhas, da espécie Caretta caretta, quando as mesmas estão nas praias a fazer posturas (a simples presença de voluntários é, por norma, suficiente para dissuadir eventuais caçadores de tartarugas marinhas)
  • participar em actividades de recolha de informação de base, indispensável para censos de fêmeas reprodutoras, ninhos, neonatos, etc., que serão utilizados quer na elaboração de um Atlas de Tartarugas Marinhas em Cabo Verde, quer em outros estudos científicos em curso, sobre esta e outras espécies de tartarugas marinhas.

 

3.  ACAMPAMENTOS
Haverá dois acampamentos distintos:

  • Ervatão, que é um acampamento com anos de experiência
  • Porto Ferreira, que é um acampamento que começará em 2009.

Cada voluntário vai estar duas semanas em Ervatão e uma semana em Porto Ferreira, para ter a possibilidade de conhecer as duas realidades.

Cada acampamento é dividido em três zonas:

  • repouso: tendas de grandes dimensões, onde dormem os monitores e os voluntários.
  • lazer: local de refeições, cozinha, confraternização e higiene pessoal.
  • trabalho: local de tratamento de equipamentos científicos e logísticos, e de armazenamento e manutenção dos mesmos.

Todas as zonas estão cobertas da luz solar directa através de redes de ensombramento. O almoço quente é confeccionado em Sal-Rei (principal vila da Boavista) e transportado para o acampamento. As restantes refeições serão ligeiras e preparadas no acampamento. É importante que os participantes, ao se inscreverem neste programa de voluntariado ambiental, estejam conscientes de que as condições de habitabilidade dos acampamentos são as estritamente necessárias para o desempenho das tarefas previstas…

 

4.  VOLUNTÁRIOS
Existirão sempre 30 voluntários, 15 monitores e 4 directores de acampamentos, distribuídos por Ervatão e Porto Ferreira.
Os voluntários, monitores e directores dos acampamentos serão provenientes de EspanhaPortugal e Cabo Verde.

Estudantes universitários têm sido, ano após ano, muito frequentes, nestes acampamentos internacionais. E a generalidade dos voluntários que, em anos interiores, participaram afirma que a experiência foi exigente, cansativa, mas inesquecível…
… e muitos voltam a candidatar-se para o ano seguinte!

Mas os acampamentos estão abertos a todos, independentemente da idade, nacionalidade ou formação académica. Basta ter uma enorme capacidade de participar!

Entretanto, para antever o que pode um destes acampamentos na Boavista, em 2009…

 

5.  CALENDÁRIO DE VOLUNTARIADO
Cada voluntário estará três semanas na ilha da Boavista e pode participar numa das seis campanhas.

  1. campanha: 22 de Junho a 12 de Julho
  2. campanha: 13 de Julho a 2 de Agosto
  3. campanha: 3 a 23 de Agosto
  4. campanha: 24 de Agosto a 13 de Setembro
  5. campanha: 14 de Setembro a 4 de Outubro

Estas datas deverão ter pequenos ajustamentos, porque ainda não são conhecidas as datas dos voos directos para o Aeroporto Internacional de Sal-Rei (Boavista); vão organizar-se voos em grupo, para ter preços mais baixos.

 

6.  HORÁRIOS E TAREFAS DO TRABALHO VOLUNTÁRIO
Haverá três turnos de trabalho voluntário: dois nocturnos e um matinal.
Os voluntários, monitores e directores irão alternando entre os diversos turnos.

turnos nocturnos

  • registo de rastos
  • identificação e marcação de fêmeas reprodutoras
  • biometria de fêmeas reprodutoras
  • identificação de ninhos
  • translocação de ninhos, se necessário
  • contagem, biometria e peso de neonatos

turno diurno

  • censo detalhado de rastos e ninhos
  • comprovação de que não há quaisquer fêmeas reprodutoras perdidas  nas ou acidentadas nas dunas
  • translocação de ninhos, se necessário
  • registo de eventuais tartarugas capturadas e/ou ninhos predados

 

7.  FORMAÇÃO TÉCNICA TEÓRICA E PRÁTICA DOS VOLUNTÁRIOS
Todos os voluntários receberão, no início da campanha, formação técnica teórica e prática ministrada por docentes universitários e por investigadores qualificados. Haverá também um Manual Técnico, que será distribuído a todos os voluntários.

No final da campanha, os voluntários receberão um Certificado de Participação.

 

8.  CUSTOS A SUPORTAR PELOS VOLUNTÁRIOS

  • passagens de avião (o preço actual da TAP, para a ligação aérea Lisboa > Sal > Boavista > Sal > Lisboa ronda os EUR 1,000.00; estão-se a estudar alternativas mais económicas…)
  • EUR 225.00 para alimentação

 

9.  MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
Deve ser feita por email, para tartarugascaboverde@gmail.com, com identificação pessoal completa, indicando de forma sucinta a justificação do interesse em participar neste programa de voluntariado, breve curriculum pessoal, experiência anterior com tartarugas marinhas (se existir, mas não é indispensável) e qual a campanha em que pretende participar.
Para o mesmo endereço de email podem ser enviadas todas as dúvidas e pedidos de mais informações.

 

10.  INFORMAÇÕES UTEIS PARA OS VOLUNTÁRIOS
material necessário

  • roupa para trabalho nocturno: roupa de cor escura, com calças e manga comprida, e impermeável ligeiro, para as noites de alguma chuva
  • roupa para o dia: de verão, sem esquecer chapéu para o sol
  • sapatos leves e adequados para andar sobre zonas de alguma pedra e sandálias de praia
  • lanternas, se possível com filtro para luz vermelha
  • pilhas
  • relógio de pulso
  • saco-cama, esteira e rede mosquiteira
  • anti-mosquitos e protector solar

vacinas recomendáveis

  • hepatite A e B
  • tétano
  • febre tifóide

outras informações

  • para entrar em Cabo Verde é necessário visto, emitido pela Embaixada de Cabo Verde em Lisboa, ou respectivos Consulados (por exemplo, em Portimão)
  • é necessário um seguro de viagem e de saúde, que garanta os custos de repatriamento antecipado, em caso de necessidade
  • as pessoas que necessitem medicamentos especiais devem trazê-los consigo, já que poderá ser difícil obtê-los na ilha da Boavista
  • as pessoas que pratiquem um regime alimentar particular (vegetarianos, macrobióticos, etc.) devem trazer alimentos não perecíveis consigo, já que poderá ser difícil obtê-los na ilha da Boavista
  • nos acampamentos é expressamente proibido o consumo de álcool e droga

Tartarugas de Cabo Verde entre as 7 Maravilhas do Atlântico

29 Março 2009

O Expresso, o semanário português de referência e maior índice de leitura, procurou, procurou e encontrou as Sete Maravilhas do Atlântico. Apresentou-as aos seus leitores no passado sábado, 28 de Março, na edição em papel, e também na sua edição online, no dia seguinte.

expressoAs Tartarugas Marinhas em Cabo Verde integram essa lista. É dado especial destaque às ilhas da Boavista, do Maio e de Santiago, bem como às actividades desenvolvidas pela Universidade do Algarve, com o apoio do Oceanário de Lisboa.          (clique na imagem para ler toda a notícia publicada no Expresso online…)

Há, também, nessa reportagem, uma breve referência ao Programa SADA, actualmente a arrancar na ilha do Príncipe (São Tomé e Príncipe)…


Boavista na Newsletter da Turtle Foundation

25 Janeiro 2009

tf_jan09A Newsletter de Janeiro de 2009, recentemente divulgada pela Turtle Foundation, apresenta em destaque as últimas actividades realizadas na Boavista, em 2008.

As últimas patrulhas nocturnas e algumas actividades de educação ambiental são relatadas por Christian Roder, o responsável pelo HOTSPOT CAPE VERDE.

A ONG Turtle Foundation é um dos membros da Capeverdian Sea Turtle Network – CVSTN e, para além das suas actividades em Cabo Verde está também presente e activa no HOTSPOT INDONESIA.

(carregue na imagem para descarregar toda a Newsletter)


Turtle Foundation Info Event in November (Sal Rei/Boavista)

11 Novembro 2008

After intensive preparations the Turtle Foundation set up an information event on Friday the 7th of November 2008 at a big playiground in the center of Sal Rei (Capital of Boavista). Besides presenting information about the Turtle Foundation and the protection of sea turtles we also announced the winners of the Turtle Foundation painting contest – concerning the topic of sea turtle protection – which took place tf-boavista1in every school on Boavista in the beginning of November.

Turtle Foundation organized the transport of the pupils from the villages to Sal Rei, where on the main- square the Posters and other information materials were presented. A nearby wall was painted with sea turtles with the help of the famous artist “Titu” and the support of the Environmental-Club of Sal Rei. In total there more than 100 children participated in painting the wall, which they apparently enjoyed very much. The playing of songs concerning different subjects of nature conservation, the posters and presentations, and especially the painting of the wall got the attention of so many people that the police had to come to stop the traffic and lead it in other directions around the Turtle Foundation Event

tf-boavista2Most of the invited teachers, representatives of the municipality, representatives of the ministry of education and of course the ministry of environment joined this event and undertook the task of awarding the prizes, which were received with jubilation by the children. All in all it was a very succesful event which was very well accepted by the community. The Turtle Foundation and their work for the protection of sea turtles are now well known all over Boavista and the “Turtle Wall” is shining all over the main-square of Sal Rei.

tf-boavista3

In the future the Turtle Foundation will set up further events to inform the community about sea turtles and their need for protection which – together with the patrolling of nesting beaches in the nesting season of the loggerhead turtle (Caretta caretta) – will most likely have a big impact in terms of sea turtle protection on Boavista.