Maio

Esta ilha do Maio é bastante pequena (…) mas é muito frequentada por navios e é grande fornecedora de sal; e mesmo sendo um local muito mau para atracar, muitos navios acostam aqui todos os anos. Está cheia de vacas, cavalos e cabras; e numa certa época do ano, que é Maio, Junho, Julho e Agosto, uma espécie de pequena tartaruga marinha sai aqui, para deixar os seus ovos na areia; mas essas tartarugas não são tão doces como as do Mar das Caraíbas.

Descrição de William Dampier, sobre a sua passagem pela Ilha do Maio, em 1683.

 

bem-vindos-maio

Maio é uma das quatro ilhas que integra o Sotavento de Cabo Verde. Tem acentuada escassez de água potável, o que durante anos limitou a sua ocupação por populações humanas. A exploração do sal proveniente das salinas naturais é uma actividade multi-centenária e foi, talvez, uma das primeiras motivações para presenças humanas temporárias.

Actualmente, a densidade da ocupação humana residente mantém-se baixa (4,098 hab. em 1980; 267 km2; 15.3 hab/km2). As principais ocupações da população estão ligadas ao mar (pesca, lagostas, búzios), à pecuária (caprinos e bovinos), e ainda a uma agricultura de auto-consumo e comercialização local. O turismo é incipiente, em grande medida em consequência das dificuldades nas ligações marítimas e aéreas com as outras ilhas. A qualidade paisagística é indiscutível e os pequenos aglomerados urbanos têm elevado interesse arquitectónico, histórico e cultural.

A rede viária é bastante limitada e as acessibilidades a muitos locais de interesse paisagístico e natural são difíceis ou mesmo quase inexistentes.

Nas águas costeiras da Ilha do Maio existem três espécies de tartarugas marinhas:

mapa-ilha-maio

  • Caretta caretta – tartaruga comum
  • Chelonia mydas – cágueda lisa
  • Eretmochelys imbricata – cágueda de escamas

A C. caretta é também nidificante nas praias do Maio, pelo que pode ser observada nas praias a fazer posturas, entre os meses de Junho e Outubro de cada ano. A C. mydas observa-se em fase juvenil, em alimentação e crescimento, e é considerada abundante. A E. imbricata também se observa em fase juvenil e sub-adulta, mas é considerada menos abundante.

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: