Acampamentos Internacionais na Ilha da Boavista 2009

1.  ORGANIZAÇÃO

tartaruga1 A ONG Natura 2000 (Cabo Verde), a Universidad de Las Palmas (Canárias – Espanha), o Consejo Superior de Investigaciones Científicas (Sevilha – Espanha) e a Universidade do Algarve (Portugal) vão organizar, entre finais de Junho e início de Outubro de 2009, dois acampamentos internacionais de voluntários na Ilha da Boavista.

O interesse ambiental dos acampamentos é reconhecido pela Direcção-Geral do Ambiente, de Cabo Verde.

 

2.  OBJECTIVOS
Os acampamentos têm dois objectivos:

  • participar na protecção directa de fêmeas reprodutoras de tartarugas marinhas, da espécie Caretta caretta, quando as mesmas estão nas praias a fazer posturas (a simples presença de voluntários é, por norma, suficiente para dissuadir eventuais caçadores de tartarugas marinhas)
  • participar em actividades de recolha de informação de base, indispensável para censos de fêmeas reprodutoras, ninhos, neonatos, etc., que serão utilizados quer na elaboração de um Atlas de Tartarugas Marinhas em Cabo Verde, quer em outros estudos científicos em curso, sobre esta e outras espécies de tartarugas marinhas.

 

3.  ACAMPAMENTOS
Haverá dois acampamentos distintos:

  • Ervatão, que é um acampamento com anos de experiência
  • Porto Ferreira, que é um acampamento que começará em 2009.

Cada voluntário vai estar duas semanas em Ervatão e uma semana em Porto Ferreira, para ter a possibilidade de conhecer as duas realidades.

Cada acampamento é dividido em três zonas:

  • repouso: tendas de grandes dimensões, onde dormem os monitores e os voluntários.
  • lazer: local de refeições, cozinha, confraternização e higiene pessoal.
  • trabalho: local de tratamento de equipamentos científicos e logísticos, e de armazenamento e manutenção dos mesmos.

Todas as zonas estão cobertas da luz solar directa através de redes de ensombramento. O almoço quente é confeccionado em Sal-Rei (principal vila da Boavista) e transportado para o acampamento. As restantes refeições serão ligeiras e preparadas no acampamento. É importante que os participantes, ao se inscreverem neste programa de voluntariado ambiental, estejam conscientes de que as condições de habitabilidade dos acampamentos são as estritamente necessárias para o desempenho das tarefas previstas…

 

4.  VOLUNTÁRIOS
Existirão sempre 30 voluntários, 15 monitores e 4 directores de acampamentos, distribuídos por Ervatão e Porto Ferreira.
Os voluntários, monitores e directores dos acampamentos serão provenientes de EspanhaPortugal e Cabo Verde.

Estudantes universitários têm sido, ano após ano, muito frequentes, nestes acampamentos internacionais. E a generalidade dos voluntários que, em anos interiores, participaram afirma que a experiência foi exigente, cansativa, mas inesquecível…
… e muitos voltam a candidatar-se para o ano seguinte!

Mas os acampamentos estão abertos a todos, independentemente da idade, nacionalidade ou formação académica. Basta ter uma enorme capacidade de participar!

Entretanto, para antever o que pode um destes acampamentos na Boavista, em 2009…

 

5.  CALENDÁRIO DE VOLUNTARIADO
Cada voluntário estará três semanas na ilha da Boavista e pode participar numa das seis campanhas.

  1. campanha: 22 de Junho a 12 de Julho
  2. campanha: 13 de Julho a 2 de Agosto
  3. campanha: 3 a 23 de Agosto
  4. campanha: 24 de Agosto a 13 de Setembro
  5. campanha: 14 de Setembro a 4 de Outubro

Estas datas deverão ter pequenos ajustamentos, porque ainda não são conhecidas as datas dos voos directos para o Aeroporto Internacional de Sal-Rei (Boavista); vão organizar-se voos em grupo, para ter preços mais baixos.

 

6.  HORÁRIOS E TAREFAS DO TRABALHO VOLUNTÁRIO
Haverá três turnos de trabalho voluntário: dois nocturnos e um matinal.
Os voluntários, monitores e directores irão alternando entre os diversos turnos.

turnos nocturnos

  • registo de rastos
  • identificação e marcação de fêmeas reprodutoras
  • biometria de fêmeas reprodutoras
  • identificação de ninhos
  • translocação de ninhos, se necessário
  • contagem, biometria e peso de neonatos

turno diurno

  • censo detalhado de rastos e ninhos
  • comprovação de que não há quaisquer fêmeas reprodutoras perdidas  nas ou acidentadas nas dunas
  • translocação de ninhos, se necessário
  • registo de eventuais tartarugas capturadas e/ou ninhos predados

 

7.  FORMAÇÃO TÉCNICA TEÓRICA E PRÁTICA DOS VOLUNTÁRIOS
Todos os voluntários receberão, no início da campanha, formação técnica teórica e prática ministrada por docentes universitários e por investigadores qualificados. Haverá também um Manual Técnico, que será distribuído a todos os voluntários.

No final da campanha, os voluntários receberão um Certificado de Participação.

 

8.  CUSTOS A SUPORTAR PELOS VOLUNTÁRIOS

  • passagens de avião (o preço actual da TAP, para a ligação aérea Lisboa > Sal > Boavista > Sal > Lisboa ronda os EUR 1,000.00; estão-se a estudar alternativas mais económicas…)
  • EUR 225.00 para alimentação

 

9.  MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE
Deve ser feita por email, para tartarugascaboverde@gmail.com, com identificação pessoal completa, indicando de forma sucinta a justificação do interesse em participar neste programa de voluntariado, breve curriculum pessoal, experiência anterior com tartarugas marinhas (se existir, mas não é indispensável) e qual a campanha em que pretende participar.
Para o mesmo endereço de email podem ser enviadas todas as dúvidas e pedidos de mais informações.

 

10.  INFORMAÇÕES UTEIS PARA OS VOLUNTÁRIOS
material necessário

  • roupa para trabalho nocturno: roupa de cor escura, com calças e manga comprida, e impermeável ligeiro, para as noites de alguma chuva
  • roupa para o dia: de verão, sem esquecer chapéu para o sol
  • sapatos leves e adequados para andar sobre zonas de alguma pedra e sandálias de praia
  • lanternas, se possível com filtro para luz vermelha
  • pilhas
  • relógio de pulso
  • saco-cama, esteira e rede mosquiteira
  • anti-mosquitos e protector solar

vacinas recomendáveis

  • hepatite A e B
  • tétano
  • febre tifóide

outras informações

  • para entrar em Cabo Verde é necessário visto, emitido pela Embaixada de Cabo Verde em Lisboa, ou respectivos Consulados (por exemplo, em Portimão)
  • é necessário um seguro de viagem e de saúde, que garanta os custos de repatriamento antecipado, em caso de necessidade
  • as pessoas que necessitem medicamentos especiais devem trazê-los consigo, já que poderá ser difícil obtê-los na ilha da Boavista
  • as pessoas que pratiquem um regime alimentar particular (vegetarianos, macrobióticos, etc.) devem trazer alimentos não perecíveis consigo, já que poderá ser difícil obtê-los na ilha da Boavista
  • nos acampamentos é expressamente proibido o consumo de álcool e droga

6 respostas a Acampamentos Internacionais na Ilha da Boavista 2009

  1. Joao Almeida diz:

    Gostaria de apresentar os meus parabéns ao Nuno Loureiro, após ter lido a reportagem no Expresso e saber mais informações sobre “Acampamento Internacional na Ilha da Boavista 2009 “. Como posso entrar em contacto com o Nuno Loureiro?

  2. Natasha diz:

    Achei o projecto muito interessante. Como estudante de Biologia no último ano do curso estou bastante interessada. Onde posso recolher mais informações relativamente ao “Acampamento Internacional na Ilha da Boavista 2009”?
    Parabéns!!
    Obrigada, cumprimentos.

  3. Júlia dos Santos diz:

    Eu sou da ilha da Boa Vista e sou estudante de Biologia na Universidade de Coimbra. Desde de 2002(na altura tinha 16 anos) que tenho vindo a ter contacto directo com o trabalho da Natura 2000 naquela ilha. A meu ver há apenas um aspecto menos positivo no trabalho das ONGs em Boa Vista: pouco empenho em envolver jovens locais nesse projecto. Eu só participei no acampamento em Ervatão porque eu sempre me interessei pela tartarugas, não foi porque os responsáveis pelo projecto se interessaram em mostrar o seu trabalho. Mas também depois de estar envolvida fui sempre bem tratada e nunca me negaram qualquer informação sobre o estado na Conservação das Tartarugas Marinhas em Boa Vista.
    Este ano vou estar em Boa Vista em Agosto para recolher informação para o meu Projecto de Pesquisa do Mestrado e espero ver mais jovens envolvidos directamento na problemática das Tartarugas Marinhas. Acredito que se houvessem mais jovens da ilha envolvidas as pessoas tinham outra forma de veriam o projecto com outros olhos e a eficácia do mesmo seria maior.
    Apostem na comunidade local, envolvem-na!!!
    Obrigada
    Júlia dos Santos

  4. Marta Pedrosa Delage diz:

    Soy estudiante de Biología de tercer curso de la Facultad de Sevilla y considero que puede ser un proyecto muy enriquecedor, y es por lo que me gustaría obtener más información y sobre todo saber donde dirigirme para elegir el grupo que me vendría bien!

    Un Saludo!

  5. Paulo Sousa diz:

    Sou universitário do Departamento de Engenharia e Ciências do Mar (ex-ISECMAR), 3º ano do curso de Planeamento e Administração dos Transportes Marítimos. O meu curso não tem nada relacionado com a Biologia, mas no ano passado (Agosto de 2008) eu fui para ilha da Boavista-ERVATÃO, trabalhar como Voluntário, no acampamento. Foi uma experiência inesquecível…
    Neste ano de 2009 vou novamente para a Boavista: “temos que ajudar a preservar as tartarugas, que estão em vias de extinção, pois elas são animais sem qualquer tipo de defesa!”

  6. Olá sou estudante-trabalhadora, do curso de Sociologia das Organizações e do Trabalho, resido na Cidade da Praia, gostei do projecto e futuramente gostaria de dar o meu contributo neste projecto que é de todos.

    Obrigada e sucessos no projecto!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: